Poesia, Crônicas e Contos em Imperatriz

Nos idos dos anos 1980, alguns irreverentes jovens se reuniram no Teatro Ferreira Gullar e fundaram o Gruli, Grupo Literário de Imperatriz, em 12 de novembro de 1985. Pretensiosos como eram, eles acreditavam que era o momento de desmascarar e sepultar uma literatura parnasiana que teimava resistir em nossa cidade. Dentre tantos sonhos -a edição do Saco Xeio, a cooperativa para a viabilização de publicação -, o Festival de Poesia, Crônica e Conto de Imperatriz conseguiu resistir e hoje é um marco na história literária de Imperatriz. Inicialmente o Festival era restrito ao âmbito municipal. Depois atingiu todo o estado do Maranhão, para aí sim, se firmar como um dos poucos festivais nacionais e a maior festa literária de toda Região Tocantina.

II Festival de Poesia, Crônica e Conto de Imperatriz
(1986)

III Festival de Poesia, Crônica e Conto de Imperatriz
Paço da Cultura e Teatro Ferreira Gullar (1987)

IV Festival de Poesia, Crônica e Conto e Texto Teatral de Imperatriz
Teatro Ferreira Gullar (1988)

V Festival de Poesia, Crônica e Conto e Texto Teatral de Imperatriz
Teatro Ferreira Gullar (1989)

VI Festival de Poesia, Crônica e Conto de Imperatriz
Teatro Ferreira Gullar (1990)

XII Festival de Poesia e Crônica de Imperatriz
Auditório Paulo Freire (2001)

XIII Festival de Poesia, Crônica e Conto de Imperatriz – Teatro Ferreira Gullar (2002)